Blog UOL Música

Categorias

Histórico

Esqueça os remédios para aliviar o estresse; descubra o poder da musicoterapia

UOL Música

19/01/2017 13h51

Remédios2

(GettyImage)

Corre de lá, estresse de cá e uma oferta gigantesca de medicamentos continua sendo o método mais utilizado pelas pessoas para encontrar um equilíbrio ao corpo. O que poucos percebem é que a música pode ser uma aliada contra os males da vida moderna.

“É a melhora da qualidade de vida, já que o estresse acaba mudando o equilíbrio interno, então a música proporciona o equilíbrio, a melhora da qualidade de vida do cidadão que se encontra em dissonância com o seu organismo”, explica a musicoterapeuta Kelly Faé ao UOL.

Pesquisas neuropsicológicas comprovaram que a música ativa as mesmas estruturas cerebrais do prazer, da motivação e da recompensa, bloqueando o estresse. Há o estímulo acerca das percepções e emoções, por isso podemos ouvir alguma música da nossa infância e lembrar do aroma da casa da avó.

“Tem casos específicos, por exemplo, para quem fez canal do dente, que precisa de muitos anestésicos. Com o uso criterioso da música, tem certos casos e estudos que dispensam o uso dos anestésicos. Onde gera a dor, ela se transforma em prazer, porque o caminho é o mesmo”, exemplifica Kelly.

É importante lembrar que o profissional musicoterapeuta precisa de uma formação universitária de bacharelado e a prática já está registrada em 46 procedimentos do Sistema Único de Saúde. Logo, há diferença entre o que os especialistas chamam de “audição de música” para “experiência de escutar”.

“Dentre as técnicas, a gente tem a audição, a criação, a improvisação e até a escuta. Por exemplo, na audição tem uma música tocando e a gente está apenas ali. Como o nosso corpo é todo ouvido, por conta das interações sonoras, é uma música de fácil acesso, você não precisa estar conectado. Mas a partir do momento que nos conectamos a ela, há essa diferença na escuta ou na audição”.

E não há preconceito com estilos musicais.  É comum a ideia de que uma música clássica é a ideal para nos mantermos relaxado, mas Kelly explica que isso varia de pessoa para pessoa. “Tem indivíduos que preferem uma determinada melodia, um ritmo, e outros que preferem outra opção. Foi citado até esses CDs relaxantes, que para muitos podem ser efetivos e para outras não”.

A playlist abaixo foi contruída pela musicoterapeuta Lilian Coelho, que organizou alguns exemplos de músicas que podem ser benéficas quando analisadas por um especialista.

A vontade de aliar música e saúde começou para Kelly no período em que ela passou no Hospital das Clínicas, em São Paulo, quando auxiliava no tratamento de dores intensivas. “Tinham pacientes que viviam à base de remédios. Depois de muitas sessões, pararam de tomar e com uso da música melhoraram a qualidade da vida”.

Infelizmente, o Brasil ainda não é uma das referências no uso da musicoterapia. “O campo não é tão conhecido, mas nos países desenvolvidos e até mesmo na Argentina podemos enxergar um maior uso de uma forma terapêutica, não ficar somente à base de remédios. Quando vamos para uma clínica, numa consulta, dependendo do médico ele te indica para um psicólogo, não para a musicoterapia. Talvez pela falta do próprio conhecimento dessa rede, mas que tem ganhado espaço”, conclui Kelly.

Rodolfo Vicentini
UMD

Sobre o Blog

Este é o blog oficial do UOL Música Deezer. Com ele, nós da equipe e nossos colaboradores podemos nos comunicar com os ouvintes, sugerindo, informando, divulgando e discutindo tudo que diz respeito ao universo musical. E é claro, ouvindo o que vocês têm a dizer. Ouça, leia e comente!

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Blog da Rádio UOL
Topo